x
Atualizado em 12.10.2017 às 09:57

Interior - Agreste

Água

Município de Pedra, no Agreste, recebe melhorias no abastecimento

Publicado em 12.10.2017, às 10h03

Atualizado em 12.10.2017, às 09h57

Barragem Mororó registra 53% da capacidade de armazenamento, que é de 2,9 milhões de metros cúbicos de água
Foto: divulgação/Compesa


NE10 Interior

O município de Pedra, no Agreste de Pernambuco, está com 70% da população sendo abastecida pela rede de distribuição da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Segundo a companhia, a Barragem Mororó, única fonte de abastecimento da cidade, conseguiu se recuperar dos efeitos da seca e voltou a fornecer água para os 12,7 mil moradores em agosto.

De acordo com a Compesa, para atender a parte que falta da população, é necessário realizar uma obra para o assentamento de novas tubulações, que deve começar dentro de 45 dias. As localidades ainda não atendidas são Belezal, Lagoa do Meio, Sítios Bicas, Veneza e Mororó. Serão investidos R$ 100 mil para executar as intervenções de ampliação da rede de distribuição. O prazo para execução da obra é de dois meses.

O sistema de abastecimento passou três anos e meio em colapso, o que fez com que as tubulações da rede precisassem de reparos. Atualmente, a Barragem Mororó registra 53% da capacidade de armazenamento, que é de 2,9 milhões de metros cúbicos de água. Com este volume, o abastecimento da cidade está garantido para os próximos 18 meses, seguindo o calendário.



Investimentos

A expectativa é de que, dentro de seis meses, o uso das tubulações da Adutora do Agreste seja antecipado, no trecho entre Pedra e Venturosa, para realizar uma interligação com o Sistema Riacho do Pau.

Pedra também será beneficiada com a construção do Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga. A obra recebe o investimento de R$ 54 milhões, do Ministério da Integração Nacional. Uma bateria de poços profundos será perfurada, fornecendo uma vazão de 200 litros de água por segundo. Os serviços já começaram e a previsão é de que o Sistema seja finalizado até maio de 2018.


Continue Lendo

Voltar para o topo