x
Atualizado em 10.08.2015 às 18:57

Notícias - Ciência & vida

Meio Ambiente

Conheça cinco iniciativas sustentáveis pernambucanas

Publicado em 10.08.2015, às 18h34

Atualizado em 10.08.2015, às 18h57

Bairro de Schlierberg, em Freiburg, na Alemanha
Foto: Reprodução


Do NE10

Schlierberg, em Freiburg, na Alemanha, é um exemplo que todos os espaços urbanos do mundo deveriam seguir. Apenas para citar alguns motivos, as 59 residências que compõem o espaço fazem reuso da água da chuva, utilizam materiais ecológicos e possuem telhados equipados com placas fotovoltaicas. Como resultado, o bairro produz quatro vezes mais energia elétrica que consome. Pela ausência de carros, deixam de emitir 500 toneladas de CO2 na atmosfera. 

Se a poluição do meio ambiente é uma preocupação global, as atenções em Pernambuco deveriam estar ainda mais voltadas ao tema, visto que estudos revelam que Recife é a 16ª cidade do mundo mais vulnerável a sofrer com os efeitos das mudanças climáticas. Não só este como outros fatores mostram a relevância de iniciativas sustentáveis na Capital. Foi pensando nisto que o NE10 juntou cinco boas ideias (públicas ou privadas) que fazem a diferença no Estado. Confira:

Reciclagem - Que tal ganhar dinheiro enquanto ajuda o meio ambiente? Isto será possível a partir de novembro, quando será lançado o Recicletool. A máquina permite que qualquer pessoa, depois de cadastrada, deposite materiais recicláveis e ganhe o equivalente ao valor que seria pago pela embalagem se esta fosse vendida no mercado de reciclagem.  

De acordo com o criador da ferramenta, Thiago Dantas, o aparelho será implantado em locais públicos, com grande circulação de pessoas, como shoppings e supermercados. "A pessoa vai colocando e a máquina vai armazenando. Parte destes resíduos serão vendidos e a outra parte é doada para os catadores, evitando assim que este produto prejudique o lucro deles", explica Thiago. 

Segundo ele, a remuneração não sai na hora, mas é depositada em uma conta previamente cadastrada quando o valor gerado pela pessoa passa dos R$ 10. "É uma boa oportunidade de ajudar o planeta e ganhar dinheiro com isto", diz o criador.

Telhado verde (Skygarden) - Em janeiro deste ano, o prefeito Geraldo Julio sancionou uma lei que prevê a implantação, no Recife, de telhados verdes em novos edifícios com mais de quatro pavimentos. Apesar de ser destinados a novas construções, a ideia é expandir a ação para aqueles já existentes. 

Isto porque o skygarden, mais conhecido por telhado verde, traz muitos benefícios para a vida dos moradores de grandes metrópoles. Entre os pontos positivos está a retenção de água das chuvas, evitando inundações; diminuição das 'ilhas de calor' e dos gases tóxicos na atmosfera e umidificação do ar nos meses secos, etc. 

Foi por estes motivos que a empresa Softex Recife, que fica na Rua da Guia, no Centro do Recife, decidiu adotar a medida. De acordo com o coordenador do Softex, Eduardo Almeida, a ideia trouxe uma nova vida para um ambiente antes subutilizado. "O espaço se tornou uma espécie de praça, com bancos e vegetação. Um lugar onde quase ninguém ia, agora se tornou bastante agradável", explica.

Inventário de emissões - Lançando na semana passada, em palestra durante o evento Pernambuco no Clima, o primeiro inventário de emissões de gases do efeito estufa (GEE) é um importante norte para saber o quanto poluímos e como poderemos reduzir este número. De acordo com a prefeitura do Recife, são 3,12 milhões de toneladas de gases do efeito estufa anualmente jogados na atmosfera pelos recifenses. O setor de transportes é responsável por 69% deste número. O documento é resultado de uma parceria entre a gestão municipal e o ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade.

Carros compartilhados (car sharing) - Lançado em dezembro do ano passado, o primeiro sistema de compartilhamento de carros elétricos do Brasil é uma iniciativa do Porto Digital. Ao todo, são três carros compartilhados, que podem atingir a velocidade máxima de 60 km/h. Atualmente existem três estações, sendo uma no Porto Digital; a segunda no Centro do Recife e, a última, na rua do Lima, em Santo Amaro. A ideia do projeto é incentivar as caronas no Grande Recife de forma limpa, visto que os carros são 100% elétricos e não emitem gases poluentes. No momento, o sistema ainda não está disponível para o público em geral.

Energia solar - A primeira usina solar de Pernambuco foi inaugurada em dezembro de 2013, na Arena Pernambuco, no Grande Recife. O equipamento, que fica em um terreno de 15 mil m² anexo ao estádio, atende 30% da demanda de energia elétrica da Arena. O que não é aproveitado no estádio é automaticamente injetado na rede de distribuição da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). No total são 3.652 painéis solares fotovoltaicos, com capacidade suficiente para gerar 1.500 MW/h por ano.

Voltar para o topo